Foto: Divulgação / Capparelli

Foto: Divulgação / Capparelli

Novamente falamos sobre a globalização e mais uma desvantagem de um mundo avançado em tecnologias. Mas, em minha opinião a situação que vamos falar não se trata de culpa da globalização ( até contribui ), mas sim da queda de qualidade da educação dada pelas famílias às crianças.

Pais cada dia mais ocupados, com o trabalho e com as tarefas do dia a dia que as crianças acabam sendo esquecidas em escolinhas, creches ou em casa na frente da televisão. E como podemos garantir o que está sendo ensinado aos nossos filhos quando não estamos por perto? Ou, o que estamos permitindo que nossos filhos assistam, vejam e aprendam?

Na minha época, meus pais me levavam para dormir, contavam histórias, cantávamos uma canção, fazíamos uma oração, só depois disso eu ia dormir. Hoje, quem tem colocado as crianças para dormir? A televisão, o videogame, o celular??

Vamos fazer assim, deixar com que os nossos filhos vejam na “TV” programações impróprias para a idades deles, que assistam esse tal de “BBB”,  “A Fazenda”, novelas, filmes insinuantes. Vamos aplaudir, quando crianças de 4 anos dançam músicas eróticas, falam palavrões e mandam os pais “calarem a boca”. Nunca diremos que os amamos, nunca brincaremos com eles, nem lhes daremos carinho e muito menos falaremos de Deus para eles. Assim, quando essas crianças crescerem, na pré-adolescência vão querer amor, atenção, carinho que nunca receberam.

Quem sabe essa infância será antecipadamente interrompida por uma gravidez indesejada, por vícios em drogas, rebeldia. Culparemos o governo, as escolas, os colegas, as redes sociais, a televisão, mas jamais enxergaremos que a culpa é nossa.
Quando isso acontecer perguntaremos “Meu Deus, por que isso está acontecendo comigo?
Então, finalmente Deus será lembrado!

Não podemos retirar nossos filhos do mundo, e nem impedir de que lhe sejam ensinadas coisas erradas. Porém, podemos instruí-los e fazer a nossa parte ensinando o que é certo e proveitoso para que essa criança se torne um adulto de caráter e não perca sua infância antes do tempo.

Beijos.

carol